As nossas Tipuanas caem cada vez mais.

Um grande susto sempre aparente para quem passa, é uma árvore grande e pela própria natureza quando cai e até muito perigoso estar embaixo delas em tempos de ventos e ventanias!

Semanas atrás tivemos manchetes sobre a queda de uma árvore tipuana sobre algumas pessoas no camelódromo da cidade… um grande susto apenas e graças a Deus sem maiores vítimas!

Me lembro, que tempos atrás, tinha essas quedas seguidas na praça da José Bonifácio e já davam também várias manchetes e desde então haviam os que queriam a poda das tipuanas.

Haviam também os mais radicais, que queriam a extirpação do problema, que todas as árvores deveriam serem derrubadas para sempre!

Todos sabem que nossas tipuanas são árvores antigas, são idosas e diz-se na história que elas foram trazidas de Pelotas em 1926.

Diziam lá no jornal “O Comércio: que a Municipalidade tinha
mandado vir de Pelotas, da Quinta “Bom Retiro”, do Sr. Ambrosio Perret, grande número de árvores de ornamento e de sombra para serem plantadas nas praças públicas. Dentre estas árvores estavam
as tipuanas (Tipuana tipu).

Nos anos de 2006, 2008, 2009 tiveram várias polêmicas que dividiram duas faixas de opiniões da população da cidade, começaram a protagonizar, em razão das quedas constantes de galhos e mesmo de árvores inteiras.

Os defensores da manutenção e os da derrubada, o Prefeito Marlon Santos em 2006 decidiu pela retirada de todas as tipuanas da Praça.

Houve manifestações contrárias, reuniões com o Ministério Público, entidades ambientais e preservacionistas. No final, devido à falta de recursos, o Prefeito desistiu dessa empreitada.

Em 2008 o Prefeito Sérgio Ghignatti anunciou a retirada de todas as tipuanas no início de seu governo.

No ano de 2009 teve início a operação de retirada das 19 tipuanas condenadas, sobrando 42. A força-tarefa, comandada pelo arquiteto paisagista Henrique Witeck e foi liberada pelo Ministério Público e reuniu os esforços e serviços da Prefeitura Municipal, do Exército e da CELETRO – Cooperativa de Eletrificação Centro Jacuí, apoiados pela AES Sul e Brasil Telecom.

Em 2010: no dia 28 de maio foram replantadas as primeiras oito mudas de tipuanas na Praça José Bonifácio, adquiridas por Henrique Witeck, na cidade de Pareci Novo, ao custo de R$ 15,00 a muda.

No ano de 2013: no dia 29 de maio um forte vendaval atingiu a cidade e várias tipuanas em diferentes pontos da cidade, assim como outras árvores, acabaram caindo, reacendendo as discussões e provocando a urgente necessidade de repensar a arborização urbana.

E de novo voltam as opiniões de poda ou retirar para sempre as tipuanas.

E estamos em 2022, e volta em cena as quedas de nossas antigas tipuanas, nesses temporais que continua tanto no tempo do clima como também nas suas repercussões após vir a bonança?

E até quando?!

(Fonte de pesquisa: História de Cachoeira do Sul, por Miriam Ritzel)

Fotos: Arquivo

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: